terça-feira, 28 de agosto de 2012

Boa notícia pela manhã...

Ora aqui está a primeira coisa que eu li hoje, no meu dia de anos. Fiquei logo com um sorriso na cara!=)



Ler com regularidade é benéfico para a saúde


Ler com regularidade é benéfico para a saúde
São cada vez mais as evidências de que ler faz bem à saúde. Estudos realizados por diferentes instituições de ensino superior internacionais revelam que os benefícios vão desde a memória e do aumento da plasticidade do cérebro à melhoria das relações interpessoais e da empatia, passando, até, pela redução da pressão arterial.
De acordo com jornal Daily Mail, o debate acerca da importância da leitura reacendeu-se graças a um estudo recente da Universidade da Califórnia, nos EUA, destinado a publicação na revista científica Archives of Neurology.
A investigação em questão mostrou que o desenvolvimento de atividades que estimulam o cérebro, nomeadamente a leitura diária desde tenra idade, pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer, inibindo a formação das placas amilóides, proteínas encontradas nos pacientes que sofrem do problema.
Os cientistas analisaram o cérebro de adultos saudáveis com idade igual ou superior a 60 anos e sem sinais de demências, concluindo que aqueles que levavam a cabo atividades como a leitura, o xadrez ou a escrita desde os seis anos de vida mostravam níveis muito baixos destas placas e, consequentemente, menor risco de desenvolver a doença.


Vantagens começam nos primeiros anos
As vantagens começam, aliás, a sentir-se desde os primeiros anos. Ouvida pelo diário britânico, a neurocientista Susan Greenfield salientou que a leitura ajuda a aumentar os níveis de concentração das crianças e a sua capacidade de pensar com clareza, o que tem impactos nas fases mais tardias da vida.
"As histórias têm um início, um meio e um fim, uma estrutura que encoraja os nossos cérebros a pensar em sequência, a associar causa, efeito e significado", explicou a especialista, acrescentando que esse facto justifica a importância de os pais lerem aos filhos e sublinhando que "quanto mais o fazemos, melhores nos tornamos" a nível cerebral.
Além disso, mais do que, por exemplo, um jogo de computador, a leitura ajuda a gerar empatia para com os outros e a melhorar as competências relacionais. "Num jogo podemos ter de salvar uma princesa, mas não queremos saber dela, só queremos ganhar. Mas, num livro, a princesa tem um passado, um presente e um futuro, tem relações e motivações. Podemos identificar-nos com ela", esclarece Greenfield.
Em 2009, dois outros estudos tinham já provado os efeitos positivos da leitura na saúde. Um grupo de investigadores norte-americanos mostrou, à data, que, ao ler, o nosso cérebro constrói as imagens, sons, cheiros e sabores descritos, fazendo com que sejam utilizadas as mesmas partes da sua estrutura usadas em experiências da vida real que, assim, são ativadas e criam novas ligações neuronais.
No mesmo ano, especialistas da Universidade de Sussex, no Reino Unido, concluíram ainda que ler durante apenas cinco minutos permite reduzir o stress em mais de dois terços, sendo mais benéfico do que, por exemplo, ouvir música ou dar um passeio. Este alívio da tensão está relacionado com a distração que advém da leitura, que relaxa os músculos e diminui a pressão arterial.

5 comentários:

  1. Primeiro muitos parabéns aproveita cada dia como se não existi-se amanhã.
    Gostei da notícia, aliás agradou-me bastante;)
    Beijocas e boas leituras;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!!=D

      Obrigada! Aproveito sempre porque nunca sabemos o que a vida nos reserva! Eheh, também me agradou, especialmente a perspectiva da diminuição da probabilidade de desenvolver Alzheimer, que é uma doença assustadora!=S

      Bjinhos e boas leituras!**

      Eliminar
  2. Olá. :)

    Antes de mais parabéns atrasados. Espero que tenha sido um dia repleto de coisas boas. :D

    Esta notícia é muito interessante. Sabia que ler fazia bem ao intelecto da pessoa, contudo não tinha ideia que poderia minimizar a possibilidade de virmos a sofrer de Alzheimer, embora tenha o seu nexo porque não nos limitamos a ler, pensamos também sobre o que acabámos de ler e, por vezes, quase que vivemos as histórias. Tal como sucede contigo, assusta-me a realidade do Alzheimer, a minha visavó paterna sofria desta doença e é mesmo muito triste e assustador pensar que um dia podemos perder as nossas memórias e passarmos a ser dependentes de alguém...

    Beijinhos e boas leituras*

    ResponderEliminar
  3. Olá :D
    Tens uma surpresa para ti no meu blog.
    Beijinhos e boas leituras**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yey!! Fiquei muito feliz!=D
      Muito obrigada!=DD

      Bjinhos!**

      Eliminar